EMPRESTAR O NOME : ENTENDA PORQUE VOCÊ NÃO DEVE FAZER ISSO

EMPRESTAR O NOME PARA OUTRAS PESSOAS PODE SER PERIGOSO PARA SUA VIDA FINANCEIRA.

ENTENDA MELHOR POR QUE O EMPRÉSTIMO DE NOME DEVE SER EVITADO A TODO CUSTO.

Mesmo sendo uma prática comum no Brasil, emprestar o nome para terceiros é uma prática arriscada e perigosa para a vida financeira de uma pessoa.
Emprestar o nome pode até ser um ato solidário, no entanto, não vale o risco. Fazer o empréstimo de nome certamente ajuda a outra parte, mas trazer grandes prejuízos para quem faz a concessão.
Emprestar seu nome em alguns casos pode até ser ilegal. Por isso, é preciso estar atento aos problemas de emprestar o nome para não se envolver em nenhuma situação derisco.

OS PERIGOS DE EMPRESTAR O SEU NOME PARA TERCEIROS

No geral, as pessoas que costumam pedir para emprestar nome são familiares e amigos. Na maioria dos casos, se tratam de pessoas que:
Estão negativadas e com o nome sujo nos serviços de proteção ao crédito;
Possuem dificuldade de comprovar ou não possuem renda.
Mas mesmo sendo para pessoas próximas e supostamente confiáveis, essa prática oferece riscos. Além de correr o risco de perder uma relação afetiva, quem opta por emprestar o nome pode:
Ficar com o nome sujo: o risco de quem empresta o nome pode ser a negativação e a dificuldade para ações posteriores. Como, por exemplo, não poder comprar uma casa, fazer cartão de crédito, adquirir um automóvel, abrir um negócio ou até mesmo contratar serviços básicos como tv e internet.

Ter dificuldades para cobrar a quitação do débito: por se tratar, na maioria das vezes, de relações próximas aumenta a dificuldade de exigir que a dívida seja quitada.
Não ter garantias: algumas pessoas fazem acordos ‘boca a boca’: No entanto, a realidade é que na maioria dos casos, não há garantias de efetivação do pagamento da dívida.
Arcar com a dívida: tendo problemas com o pagamento do débito, é comum que a pessoa que emprestou o nome assuma a dívida para não ficar com o nome sujo.

Responder a crime de falsidade ideológica: no caso de empréstimo de nome para abertura de um negócio, por mais que o utilizador do nome emprestado assumisse no dia a dia a empresa. Indiretamente, quem emprestou o nome possui a obrigação perante o estabelecimento, pelo fato de possuir o nome nos documentos.
Sofrer cobranças via processos judiciais: além de ser forçado a pagar a dívida, os custos podem aumentar se as cobranças dos credores forem realizadas via processos judiciais. Acrescentando o gasto com despesas advocatícias.

EMPRESTAR O NOME PODE SUJAR O SEU PRÓPRIO HISTÓRICO DE CRÉDITO

O empréstimo de nome para que outras pessoas utilizem serviços como crédito, financiamento e até empréstimos pode ser considerado uma infração penal.
Principalmente, se o assunto for abertura de empresas. Em alguns casos, o ‘laranja’ e o utilizador do nome emprestado podem ser obrigados a pagar multa e até serem presos.
Quem solicita para alguém emprestar nome já deve estar com o nome sujo na ‘praça’. Pensando nisso, são grandes as possibilidades de não haver o cumprimento do compromisso com a dívida gerada. E em todos os casos, o débito oficialmente é de quem emprestou o nome, mesmo que não tenha utilizado o serviço.
Por isso, emprestar o nome não é uma boa alternativa para resolver problemas financeiros de pessoas próximas, devendo ser evitado ao máximo. Na verdade, essa ‘solução’ só pode acabar trazendo mais dores de cabeça.

Comentários no Facebook